terça-feira, 6 de abril de 2021

Frase Inspiradora:

 "[...], os edifícios antigos de alvenaria que chegaram aos nossos dias apresentam, em geral, um valor patrimonial elevado, quer em si próprios, enquanto objectos arquitectônicos de interesse, quer enquanto parte de um tecido urbano com valor histórico, que importa preservar. A simples demolição e reconstrução não é, em situações normais, uma opção defensável, quer por questões patrimoniais, quer por questões de sustentabilidade."


João Gomes Ferreira

Diagnósticos nas Alvenarias
Manual de engenharia diagnóstica:
desempenho, manifestações patológicas e perícias na construção civil
2o edição revista e ampliada
pag.240

Postado por Cristiane Py

quarta-feira, 24 de março de 2021

Projeto Clube da Bolsa - vencedor em concurso do CAU-SP


O projeto de restauro que fizemos para o espaço do Antigo Clube da Bolsa localizado no 3o pavimento da Bolsa Oficial do Café - Museu do Café já foi assunto em post desse blog. 

Apresentei também esse projeto no 4o Simpósio Científico do ICOMOS Brasil realizado em novembro do ano passado de forma virtual. Compartilho abaixo o link para acesso do trabalho publicado nos Anais do evento.


E no final do ano passado esse mesmo projeto foi vencedor na Categoria I – Projeto de Conservação e Restauro Arquitetônico, Urbano e Paisagístico do Concurso oferecido pelo CAU-SP para Boas Práticas de Preservação do Patrimônio Cultural.

Abaixo links de acesso ao resultado do concurso e ao trabalho apresentado.



Fiquei muito orgulhosa dos resultados obtidos com esse projeto e não podia deixar de compartilhar aqui com vocês.


Postado por Cristiane Py

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Vocabulário arquitetônico

Desde agosto do ano passado estamos fiscalizando a obra de conservação e manutenção da fachada do Museu do Café, antigo edifício da Bolsa Oficial do Café, em Santos.

A montagem do andaime multi-direcional para a execução da obra permitiu acesso para observarmos de perto vários ornatos e detalhes desse patrimônio cultural construído no começo dos anos 1920 em estilo eclético.

Neste post vamos falar de alguns deles.

Dentículo: Pequeno entalhe em forma de dente com que se ornam certas partes do edifício. Surgia principalmente nas cornijas das ordens coríntia e jônica, mas que, de modo geral, pode aparecer como elemento decorativo mesmo contemporaneamente.*

Dentículo - Fachada Museu do Café

A Visual Dictionary of Architecture
Francis D. K. Ching


Tríglifo: ornamento dos frisos do entablamento dórico formado de três sulcos triangulares profundos.*

Tríglifo - Fachada Museu do Café
(aqui um pouco estilizado)

A Visual Dictionary of Architecture
Francis D. K. Ching

Voluta: Ornato que aparece frequentemente em capitéis de colunas, principalmente no jônico, com forma espiral. O centro da voluta, onde começa a espiral, em geral em forma de pequeno disco, chama-se olho. [...] Voluta chanfrada é aquela em que as circunvoluções estão separadas entre si por um pequeno espaço às vezes decorado.


Voluta e Cathetus - Fachada Museu do Café


A Visual Dictionary of Architecture
Francis D. K. Ching


* Corona & Lemos, Dicionário da Arquitetura Brasileira, Art Show Books Ltda. 2. edição- 1989
** imagens da autora

Postado por Cristiane Py

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Centro de Proteção Ambiental em Balbina e a importância da Conferência de Nara.


Patrimônio cultural do estado do Amazonas, o Centro de Proteção Ambiental em Balbina, de autoria do arquiteto Mario Emílio Ribeiro e do "arquiteto da floresta" Severiano Mário Porto, resgata técnicas tradicionais e regionais que se integram à natureza, ao clima e ao ambiente. 

O projeto consiste em uma complexa cobertura de estrutura de madeira que interliga, através de passarelas, os blocos do conjunto. A forma orgânica não é só predominante na implantação do complexo mas também nos encaixes entre pilares, vigas, caibros e ripas. Outros diferenciais são as telhas, em madeira muirapiranga, e as alvenarias internas que não se encontram com a cobertura permitindo, dessa forma, a livre circulação do ar.

A deterioração da edificação, segundo Guilherme Castro que participou do projeto, já era prevista desde a sua concepção, o que não justifica o estado de ruínas e abandono registrados em 2012 por Marcos Costa.

Olhando a imagem acima não podemos evitar a forte ligação com a arquitetura indígena brasileira e a importância da Conferência de Nara realizada em 1994.


"Num mundo que se encontra cada dia mais submetido às forças da globalização e da homogeneização, e onde a busca de uma identidade cultural é, algumas vezes, perseguida através da afirmação de um nacionalismo agressivo e da supressão da cultura das minorias, a principal contribuição fornecida pela consideração do valor de autenticidade na prática da conservação é clarificar e iluminar a memória coletiva da humanidade."

Conferência de Nara

os encaixes da estrutura

as passarelas
as alvenarias que permitem livre circulação de ar
a cobertura - detalhe para o lanternim
detalhe do beiral

*imagens da web - acesso em jan/2021
Postado por Cristiane Py - www.cristianepy.com.br