segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Casa de Campo - Um projeto de restauro

Hoje vamos falar sobre um projeto de restauro que transformou um antigo celeiro, localizado na cidade de Chievo, Verona, Itália, em uma casa de campo e que recebeu menção honrosa no prêmio internacional Domus restauro e conservação - Fassa Bortolo em 2019.

O projeto, de autoria do escritório Studio Wok, criou um diálogo harmônico entre história, contemporaneidade, território, paisagem, tecnologia, natureza e sustentabilidade, demonstrando que, quando todas as disciplinas participam de forma equiparada no desenvolvimento do projeto, o resultado é este que veremos nas imagens abaixo.



 




Para mais informações do projeto, acesso o site: https://www.studiowok.com/project/countryhome/

*Imagens: site: https://www.studiowok.com/project/countryhome/ acesso em jan/2022

Postado por Cristiane Py

sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Preservação e acessibilidade

Um dos grandes desafios que enfrentamos nas intervenções em patrimônio cultural edificado é a acessibilidade.

Durante um bom tempo essas disciplinas (preservação e acessibilidade) traçaram caminhos distintos. Não havia diálogo entre elas, o que dificultava os trabalhos de restauro que visavam a acessibilidade.

Mas hoje pensar em preservação sem acessibilidade é estar fora do seu tempo.

É claro que uma construção de 100 anos não atenderá a todas as normativas, por isso as diretrizes de acessibilidade deverão ser analisadas caso a caso e toda e qualquer intervenção deverá seguir as metodologias da disciplina de restauro.

Abaixo segue estudo que fizemos para permitir o acesso de pessoas com deficiência - PCD no Salão do Pregão do Museu do Café em Santos.

As PCD conseguiam passar pelo Salão, mas alguns degraus tornavam o acesso ao espaço sob o Vitral e o acesso para as telas de Benedicto Calixto impraticáveis.

As rampas que projetamos são peças desmontáveis e removíveis, totalmente independentes da estrutura existente. Dessa forma, não agredimos e nem causamos danos na materialidade do patrimônio.

Vejam nas fotos abaixo que há um impacto visual, mas é um impacto positivo, registro do seu tempo, um tempo de inclusão.

Rampa de acesso para as telas de Benedicto Calixto

Rampa de acesso para a área sob o Vitral


* fotos montagem - Py Vieira Arquitetura e Eventos Ltda.
Postado por Cristiane Py

sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Jornada do Patrimônio 2020

Muitos seguidores me perguntaram se em 2020 não havia ocorrido a Jornada do Patrimônio em São Paulo, afinal eu não havia feito nenhum post a respeito.

Sim, tivemos a Jornada do Patrimônio em 2020 e vou falar sobre ela agora.

A sexta edição da Jornada do Patrimônio teve como tema "Nossa cidade, nossas memórias" e contou também com eventos virtuais.

Por causa da pandemia do Covid-19 optei por ir a um evento que fosse em área aberta e fui visitar  a Vila Normandia.

"A Vila Normandia é um conjunto de 54 sobrados nas ruas Normandia e Gaivotas, no bairro de Moema, nos trechos entre as avenidas dos Eucaliptos e Cotovia.

Os sobrados se destacam na paisagem por sua arquitetura de inspiração normanda, formando grupos de seis residências geminadas (construídas lado a lado e sem espaços entre elas). Foram projetados por Roberto Frade Monte, Antônio Castanheira Neto e William Hentz Gorham, a pedido de seu proprietário, José Fernandes Chaves, e construídos entre 1950 e 1959. Nesta época, o bairro de Moema começava a se formar e José Fernandes Chaves pretendia investir no ramo de moradias de aluguel. Hoje todos os sobrados estão ocupados por estabelecimentos comerciais, como lojas e serviços diversos."




Para acessar as outras edições da Jornadas do Patrimônio em São Paulo acessem os links abaixo.





*imagens da autora

Postado por Cristiane Py

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Frase inspiradora:

 "O passado não é abstrato; ele tem a realidade material como patrimônio, que por sua vez tem consequências materiais para a identidade e o pertencimento da comunidade. O passado não pode simplesmente ser reduzido a dados arqueológicos ou textos históricos - ele é patrimônio de alguém."

Laurajane Smith

Uses of Heritage - pag.29

tradução livre da autora

quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Jornada do Patrimônio - 2021

    No fim de semana dos dias 11 e 12 de setembro ocorreu em São Paulo a sétima edição da Jornada do Patrimônio. Já postamos aqui no blog posts falando das edições anteriores. Seguem o links abaixo:

- Jornada do Patrimônio 2017 - A técnica do micro jateamento

- Jornada do Patrimônio 2018 - O Bairro do Pacaembu na Jornada do Patrimônio

- Jornada do Patrimônio 2019 - A Casa Amarela da Vila Romana


Em 2020 e 2021, em função da pandemia do COVID-19,  foram acrescentados eventos on-line.

Neste ano foi e ainda é possível visitar os imóveis históricos (uma das principais atrações do evento) por vídeos simulando uma visita guiada. O bom é que alguns vídeos continuam à disposição para aqueles que não conseguiram acessar nos dias do evento.

Compartilho aqui com vocês alguns desses links. 

Não percam essa oportunidade de conhecer, sem sair de casa, o patrimônio da cidade de São Paulo. 







Esses são só alguns dos links disponíveis para as visitas on-line. Acessem o site oficial do evento para ter acesso aos demais vídeos:


*imagens: site oficial do evento - link acima!

Postado por Cristiane Py

sábado, 4 de setembro de 2021

Estudos e análises também para pequenas intervenções.

Qualquer intervenção em um patrimônio cultural edificado deve sempre ser acompanhada de um estudo e por profissionais habilitados, mesmo que a intervenção seja pontual.

Vamos mostrar abaixo um estudo de caso.

Laje pátio descoberto antes da execução das obras

Infiltrações no piso inferior

Nessa edificação há, no terceiro pavimento, um pátio descoberto cuja a laje apresentava sérios problemas de infiltrações trazendo danos para as salas do pavimento inferior.

Para sanar as infiltrações era necessário refazer a manta de impermeabilização e, para isso, o piso existente deveria ser removido.

O piso era composto na sua maior parte por cimentado, mas possuía nas laterais uma tabeira de pedra ardósia e, ao centro, uma passadeira de ladrilho.

Tabeira de pedra ardósia
Passadeira em ladrilho

Após pesquisa, foi descoberto que a tabeira em ardósia havia sido instalada em uma intervenção recente realizada já com o intuito de tentar solucionar as infiltrações, mas sem sucesso.

Foi realizado então um parecer técnico acompanhado de um relatório fotográfico para apresentação e aprovação nos órgãos de preservação.

A princípio foi previsto que a passadeira em ladrilho hidráulico fosse removida cuidadosamente, peça por peça, para reinstalação após o refazimento da manta de impermeabilização.

Com o início da obra foi verificado que o ladrilho estava muito aderido à superfície e apenas 10% das peças conseguiram ser removidas sem quebra. Essas peças foram usadas para reposição das soleiras.

A manta de impermeabilização e o contra-piso foram executados conforme o parecer, mas novos estudos foram iniciados para a definição do revestimento a ser instalado.

O ladrilho da passadeira, bem como o desenho das peças, também está presente em diversas outras áreas da edificação e a opção de executar réplicas não se justificava.

Piso similar ao da passadeira, presente em outras áreas da edificação.

A instalação de um piso cerâmico de mercado não se mostrou satisfatória por ser difícil conciliar o diálogo entre a cerâmica nova e o ladrilho antigo existente nas áreas adjacentes.

Após estudos e pesquisas, o material escolhido para o revestimento do pátio foi o fulget em tom cinza.

Piso fulget

O piso fulget é um piso feito com pedras moídas e, por ser antiderrapante, ideal para áreas externas. Ele é similar ao granilite, mas por não possuir resina tem um aspecto mais rústico.

A técnica do granilite foi trazida para o Brasil por imigrantes italianos há 50 anos, mas desde o século XVII os ancestrais do granilite e do fulget já eram executados na cidade de Veneza, Itália.

Por ser um piso atemporal, o diálogo entre o piso fulget com os revestimentos originais se fez de forma harmônica mantendo os pisos antigos como protagonistas, mas não deixando de registrar a marca do seu tempo.

Pátio descoberto com a obra finalizada - revestimento em piso fulget.

Vale ressaltar que antes da execução do piso fulget um parecer complementar foi apresentado para aprovação nos órgãos de preservação. 

*imagens da autora
* imagem piso fulget - acesso setembro/21 https://conspem.com.br/

Postado por Cristiane Py

sábado, 28 de agosto de 2021

Segue a dica: Proteção e revitalização do patrimônio cultural no Brasil.

Aqui no blog vira e mexe falamos da importância de conhecer e se aprofundar na história. Conhecer o passado é uma forma de entender o presente e principalmente projetar o futuro.

Quando vamos intervir em um patrimônio cultural, o estudo e pesquisa do seu passado histórico, bem como a sua relação com a comunidade no presente, são imprescindíveis para podermos traçar as diretrizes do projeto de restauro.

Mas há uma outra história que também é necessário conhecer. É a trajetória da forma de pensar, de uma determinada época,  que geraram leis, decretos, secretarias, programas etc... a favor da preservação do patrimônio cultural.

Entender esse percurso também é importantíssimo!

Então seguem abaixo 03 indicações de leituras para aqueles que desejam se aprofundar no tema. 

As duas primeiras indicações falam da história da preservação no Brasil. 

O livro amarelo conta desde os primeiros projetos de lei dos anos 1920 até o começo dos anos 1980.

O segundo livro é uma coletânea de artigos, escritos e falas de Aloísio Magalhães, um dos personagens mais importantes (ao lado de tantos outros) que ajudou, nos anos 1970 e 1980, a transformar e resgatar  valores do anteprojeto de Mario de Andrade de 1936 até então adormecidos.

O terceiro e último livro é da historiadora francesa Françoise Choay que nos conta a história desde o monumento antigo até a era da indústria cultural do ponto de vista europeu.


*imagens da autora

Postado por Cristiane Py