sábado, 8 de junho de 2019

Frase Inspiradora:

"O edifício histórico oferece a oportunidade de agregar valor ao ambiente existente, ao mesmo tempo que preenche a linha temporal entre o antigo e o novo.
A preservação do patrimônio construído deve ser vista como progresso nos âmbitos da cultura e da economia."


Jorge E. L. Tinoco
curso gestão de restauro

*em instagram acesso em 05-06-19

Postado por Cristiane Py

segunda-feira, 3 de junho de 2019

A preservação presente no universo infantil - Carros

Eu confesso que fiquei com dúvidas sobre escrever ou não esse post, mas acabei me convencendo que as coincidências são tantas que vale a leitura!


Carros é um filme de animação produzido pela Pixar Animation em 2006.

A história é sobre um jovem corredor, Relâmpago Mc Queen, que durante uma competição se perde durante o translado e, por ter causado danos no pavimento da pequena cidade Radiator Springs, se vê obrigado a reparar os danos e conviver com os moradores antes de retornar para a competição.

Todo o filme se desenrola com um diálogo entre o novo e o velho. Abaixo seguem alguns exemplos:

Mc Queen é um novato, um carro de última geração, mas o seu patrocinador é um fabricante de óleos anti-ferrugem para carros antigos.


- aquele que se torna melhor amigo de Mc Queen é o caipira Mate, uma antiga caminhonete enferrujada.



- A cidade de Radiator Springs faz parte da Rota 66 que era extremamente movimentada e importante para a região até ser construída a auto-estrada, que fez com que a cidade ficasse estagnada e, de certa forma, parada no tempo. Radiator Springs me faz lembrar Ouro Preto que foi capital do Estado de Minas Gerais até a implantação de Belo Horizonte. Cidade que passou por um período de grande riqueza mas que depois ficou décadas no esquecimento.


- Assim como Ouro Preto foi "descoberta" pelos modernistas na década de 1920 e se tornado um símbolo da arquitetura brasileira dentro e fora do Brasil, Radiator Springs, no fim do filme, também é "descoberta" pela Copa Pistão.


- Radiator Springs se torna novamente movimentada, não mais por ser passagem obrigatória em uma rota principal mas sim por valores hoje tão cobiçados pelo Turismo Cultural. Ambiência, paisagens pitorescas e arquitetura.



- O juiz da cidade de Radiator Springs, Doc Hudson, condena Mc Queen a restaurar os danos na cidade, mostrando a preocupação com a preservação e a luta contra o vandalismo.

- Mas o personagem Doc Hudson se torna mais importante por outras 2 principais questões: 

- Primeira questão: Ele se torna um mentor para o jovem corredor, ensinando técnicas não mais conhecidas pelos jovens. A arte do saber-fazer passando de geração para geração assim como as técnicas tradicionais sendo ensinadas por professores como o Tinoco do curso do CECI para os jovens profissionais.


- A segunda questão é quando Mc Queen descobre a verdadeira identidade de Doc ao entrar em uma garagem e ver todas as suas memórias preservadas!




- No fim do filme, a cidade de Radiator Springs funda um museu sobre as memórias do grande ganhador da copa pistão Doc Hudson


- e depois de todas essas "coincidências" não posso deixar de pensar que o nome do patrocinador do Mc Queen não tenho sido inspirado no nome de um dos teóricos mais importantes da história da preservação John Ruskin. O patrocinador do Mc Queen além de ter um nome muito similar, Rust.eze, também acreditava na conservação dos antigos!

*imagens da web - acesso em junho-2019

Postado por Cristiane Py

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Técnicas construtivas tradicionais na Itália


As imagens que vemos neste post são da Catedral de Montepulciano, na região da Toscana - Itália.


Das muitas igrejas da Itália,  optamos em falar sobre a Catedral di S. Maria Assunta em função do acabamento da fachada ter ficado inconclusivo e nos permitir observar a técnica construtiva.

Essa edificação foi construída no século XVI, no local aonde já existia uma antiga igreja paroquial. Da antiga paróquia só foi mantido o campanário com acabamento em tijolos e  travertino.

Conseguimos observar, nas imagens abaixo, que a alvenaria foi construída com fiadas de tijolos intercaladas com fiadas de pedra. Vejam que interessante!


Abaixo, imagem da estrutura da rampa para acessibilidade à igreja, mostrando que intervenções para adequação aos novos tempos podem e devem ser executadas.




*imagens da autora

Postado por Cristiane Py

quinta-feira, 18 de abril de 2019

A História do Pináculo da Notre Dame de Paris



No dia 16 de abril de 2019 um forte incêndio atingiu a catedral Notre Dame de Paris.

Com vídeos e posts ao vivo, tanto na imprensa como nas redes sociais, o mundo pode observar quando o pináculo da catedral desmoronou, sendo essa uma das imagens mais marcantes da tragédia.

A ideia deste post não é discutir nem a causa do incêndio e nem a reconstrução da catedral mas contar um pouco da história do pináculo que cedeu com o incêndio.

A catedral em estilo gótico foi construída no séc. XII em um sítio que, deste a antiguidade, já tinha um forte valor religioso, tanto para os celtas como também para os romanos. Ela substituiu uma igreja em estilo românico que por sua vez já havia substituído umas das primeiras igrejas cristãs de Paris.

Desde a sua fundação, no séc. XII, a catedral passou por várias transformações e tanto a entrada principal quanto o seu interior já haviam adotados o estilo do séc. XVIII.

Durante a Revolução Francesa Notre Dame foi vandalizada e muitas de suas esculturas removidas e vendidas como material de construção mas, nesta mesma época, surge também um forte sentimento preservacionista e nacionalista que viu na arquitetura gótica um esplendor até então ignorado.

Aí começa a surgir a história do pináculo!

Em 1842 é aberta uma competição para a obra de restauro de Notre Dame, sendo o projeto de autoria dos arquitetos Jean-Baptiste Lassus e Eugene Viollet-le-duc o ganhador.

Em 1845, após uma revisão, o projeto é aprovado e iniciam-se as obras de restauro.

Nesta intervenção, que durou 20 anos, várias camadas da história do monumento foram removidas com o propósito de trazer de volta o monumento "original". Esse tipo de intervenção era e é chamado de restauro estilístico e, apesar de ser adotado em vários países e por vários profissionais, sempre teve uma forte oposição do grupo que podemos chamar de conservadores.

Voltando ao pináculo... Lassus e Le Duc tinham opiniões contrárias sobre construir ou não a torre. Lassus era contra pois acreditava não ter provas suficientes dela ter existido e Le Duc a favor por acreditar que a torre teria sido destruída em 1792.

Le Duc, por fim, constrói o pináculo depois da morte de Lassus e finaliza a obra em 1864.

Construída em estrutura metálica, essa torre, conhecida também por flecha, tinha na parte mais alta uma imagem que representava o próprio arquiteto Viollet-le-duc.

Mais do que a perda de uma estrutura arquitetônica, é a perda do valor simbólico que o pináculo representava para a cidade de Paris. A comoção foi grande e, 02 dias após a tragédia, o governo francês lança concurso internacional para reconstrução da flecha destruída.

*imagens da web - acesso em 04-2019
Postado por Cristiane Py






quinta-feira, 21 de março de 2019

Segue a dica:




Está disponível gratuitamente no site da editora da Unesp o download do livro:

O papel do patrimônio arquitetônico no projeto da cidade contemporânea 

dos autores Adalberto da Silva Retto Júnior e Beatriz Mugayar Kühl

Abaixo segue o link:

https://www.amigosdanatureza.org.br/biblioteca/livros/item/cod/182?fbclid=IwAR0J4R4vU5qM4ofplZGAbxRsG_ZqtCeAX2-11gkCa5nL_7FuxyC5QzMWCaw



Postado por Cristiane Py

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Frase Inspiradora:

"Conservação e revitalização devem necessariamente envolver os habitantes, e o processo também deve ser planejado e implementado levando em conta o contexto social e econômico de cada lugar"

Jukka Jokilehto
A History of Architectural Conservation
second edition
posição 326
tradução livre da autora


Postado por Cristiane Py

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Antiga Fábrica da Polar em Estrela - O risco da perda de um patrimônio edificado

Desativada em 2006, a antiga fábrica da cervejaria Polar, localizada na cidade de Estrela - RS, hoje está correndo o risco de ter parte da sua história apagada.

A cervejaria, que iniciou suas atividades no começo do século passado, é parte integrante da história e da memória coletiva do local e marco importante da industrialização do Brasil. O abandono, uso indevido ou demolição do seu patrimônio edificado é uma enorme perda, não só para a cidade como para todo o país.

Aqui no blog temos vários posts falando de restauro e revitalização de antigos espaços fabris. Alguns projetos retomaram o uso original e outros tiveram mudança de uso, mas em ambos os casos o patrimônio edificado foi preservado. Abaixo link dos posts :

 Restauro com manutenção do uso original

A Importância do Patrimônio Regional

Antigas edificações industriais, hoje revertidas em espaços de arte

Centrale Montemartini - o passado antigo e o passado recente


A população local está lutando para preservar o conjunto e o entorno e fazer com que o complexo receba um uso compatível e integrado com o cotidiano dos moradores locais. Abaixo segue link de abaixo-assinado on line a favor da preservação desse complexo fabril.


Escadaria: parte integrante do conjunto fabril,  foi restaurada nos anos 2010.
população local em defesa da antiga fábrica

* imagens da web - acesso fev-2019

Postado por Cristiane Py