quinta-feira, 21 de março de 2019

Segue a dica:




Está disponível gratuitamente no site da editora da Unesp o download do livro:

O papel do patrimônio arquitetônico no projeto da cidade contemporânea 

dos autores Adalberto da Silva Retto Júnior e Beatriz Mugayar Kühl

Abaixo segue o link:

https://www.amigosdanatureza.org.br/biblioteca/livros/item/cod/182?fbclid=IwAR0J4R4vU5qM4ofplZGAbxRsG_ZqtCeAX2-11gkCa5nL_7FuxyC5QzMWCaw



Postado por Cristiane Py

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Frase Inspiradora:

"Conservação e revitalização devem necessariamente envolver os habitantes, e o processo também deve ser planejado e implementado levando em conta o contexto social e econômico de cada lugar"

Jukka Jokilehto
A History of Architectural Conservation
second edition
posição 326
tradução livre da autora

Postado por Cristiane Py

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Antiga Fábrica da Polar em Estrela - O risco da perda de um patrimônio edificado

Desativada em 2006, a antiga fábrica da cervejaria Polar, localizada na cidade de Estrela - RS, hoje está correndo o risco de ter parte da sua história apagada.

A cervejaria, que iniciou suas atividades no começo do século passado, é parte integrante da história e da memória coletiva do local e marco importante da industrialização do Brasil. O abandono, uso indevido ou demolição do seu patrimônio edificado é uma enorme perda, não só para a cidade como para todo o país.

Aqui no blog temos vários posts falando de restauro e revitalização de antigos espaços fabris. Alguns projetos retomaram o uso original e outros tiveram mudança de uso, mas em ambos os casos o patrimônio edificado foi preservado. Abaixo link dos posts :

 Restauro com manutenção do uso original

A Importância do Patrimônio Regional

Antigas edificações industriais, hoje revertidas em espaços de arte

Centrale Montemartini - o passado antigo e o passado recente


A população local está lutando para preservar o conjunto e o entorno e fazer com que o complexo receba um uso compatível e integrado com o cotidiano dos moradores locais. Abaixo segue link de abaixo-assinado on line a favor da preservação desse complexo fabril.


Escadaria: parte integrante do conjunto fabril,  foi restaurada nos anos 2010.
população local em defesa da antiga fábrica

* imagens da web - acesso fev-2019

Postado por Cristiane Py

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Frase inspiradora:

"O patrimônio cultural mundial agora está disponível não só para os ricos e bem situados, mas para qualquer pessoa conectada à imensa rede de conhecimento, o que significa a maior parte da humanidade e, em breve, a humanidade inteira."

Steven Pinker
em O Novo Iluminismo
Posição 5917

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Centro Cultural Teopanzolco

No post Museu de Congonhas - um livro aberto sobre o santuário, a obra de Aleijadinho e a cultura brasileira falamos do projeto, de autoria do arquiteto português Álvaro Siza, para o Museu de Identidade da cidade de Congonhas, Minas Gerais - Brasil. Hoje falaremos de outro projeto que achei muito interessante e que também se localiza perto de um sítio reconhecido como patrimônio cultural.

O Centro Cultural Teopanzolco,  Cuernavaca - México, foi edificado com a finalidade de fortalecer a relação com o sitio arqueológico Asteca, de mesmo nome, bem como gerar um espaço público significativo. O projeto, de autoria do arquiteto Isaac Broid e do escritório PRODUCTORA, criou um ambiente que não só respeita o patrimônio cultural existente como também o valoriza. Similar ao projeto do Museu de Congonhas, ele complementa a visita ao sítio arqueológico, não inibindo e nem direcionando a percepção do visitante.

O projeto venceu o 2o prêmio Oscar Niemeyer de Arquitetura Latino-Americana, foi um dos vencedores do Prêmio Simon de Arquitetura 2018 e foi vencedor na Bienal de Quito 2018.

O Templo do período do Império Asteca foi redescoberto em 1910 e escavações começaram a ser realizadas a partir da década de 1950. O terremoto de 2017 danificou o templo principal mas permitiu aos arqueólogos encontrar um templo menor até então desconhecido.


*imagens da web - acesso 01-2019

Postado por Cristiane Py

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Frase inspiradora:

"[...] O pior inimigo da arquitetura moderna é o conceito de espaço considerado exclusivamente em termos de suas exigências técnicas e econômicas, indiferente à idéia de local.
O ambiente construído que nos cerca é, em nossa opinião, a representação física de sua história e o modo pelo qual acumulou diferentes níveis de significado para compor a qualidade específica do local, não só pelo que aparenta ser em termos percentuais, mas pelo que é em termos estruturais."

Kenneth Frampton
em Uma nova agenda para a arquitetura, org. Kate Nesbitt, pag.565

Postado Cristiane Py

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Restauro com manutenção do uso original

No post Antigas edificações industriais, hoje revertidas em espaços de arte falamos da mudança de uso em espaços fabris. Podemos citar também a Fábrica Companhia Melhoramentos, revertida em espaço multiuso e aberta para a comunidade, ou o SESC Pompéia, projeto da arquiteta Lina Bo Bardi que também ocupou um antigo espaço fabril.

O uso do patrimônio cultural edificado é uma das principais diretrizes para a manutenção do bem cultural e, como vimos nos exemplos acima, a sua mudança (residencial para comercial; residencial para serviço hoteleiro; industrial para cultural) é possivel se o projeto respeitar as metodologias adotadas pela disciplina do restauro.

Neste post também vamos falar de um projeto de restauro de um espaço fabril que achei interessante por ter mantido o uso original: A Bodega Trapiche em Mendoza na Argentina.

Segundo informações da guia que me acompanhou na visita ao local, a Bodega, fundada em 1883, teve sua sede em estilo arquitetônico florentino construída em 1912 e sua produção atendia praticamente todo o consumo de vinhos da Argentina nessa época. Como veremos nas fotos, a vinícola tinha acesso direto para a ferrovia, as uvas chegavam e a produção era escoada por trens e todo o equipamento da vinícola funcionava a vapor.

Por volta dos anos 1940 uma forte crise no país deixou a adega abandonada mas atualmente, depois do restauro, ela retomou a produção vinícola.

O mais interessante do projeto é que, apesar de ter sido realizada a modernização dos equipamentos e meio de transporte, o projeto de restauro manteve as antigas instalações não mais utilizadas no processo fabril como memória para as futuras gerações. Parte dos equipamentos continuam em uso e parte das edificações foram mantidas em ruínas assim como novas construções também foram executadas.

Abaixo seguem fotos com mais detalhes

Vista da sede construida em 1912 em estilo florentino e restaurada.
Ao fundo vemos a chaminé utilizada na época em que se usava o vapor para a produção.
Nesta foto vemos os trilhos de trem. A adega tinha acesso direto para a ferrovia.
Atualmente o transporte é feito por caminhões mas o antigo ramal foi mantido como memória
Equipamentos originais movidos a vapor foram mantidos como memória .
Equipamentos originais
Equipamentos originais
Piso de taco de madeira restaurado
Infraestrutura original que ainda é utilizada no processo da fabricação de vinhos
Ruína da antiga residência do administrador. 
Contenções em concreto foram executadas na intervenção de restauro
Detalhe construtivo remanescente da residência do administrador
Detalhe da técnica construtiva das paredes internas da casa do administrador.  
Nesta imagem vemos uma construção contemporânea para a boutique de vendas de vinho. Com a manutenção do uso essa Boutique se faz pertinente (ao contrário das já tradicionais  "lojinhas" para venda de souvenirs nas saídas de museus e pontos turísticos tão questionadas por Françoise Choay)
Entre as antigas edificações vemos as novas instalações com técnicas modernizadas.
*imagens da autora
**informações fornecidas no dia da visita pela guia local

Postado por Cristiane Py